17 de setembro de 2018

Mitos e verdades sobre o glaucoma

Mitos e verdades sobre o glaucoma

Um grande complicador do glaucoma é não apresentar sintomas, em muitos casos, ficando oculto. Por isso, alertar sobre o assunto é sempre muito importante. O aumento da pressão intraocular é o principal fator de risco e, felizmente, a sua avaliação é parte da consulta de rotina.

É importante buscar, sempre, um médico oftalmologista para examinar os olhos. Isso porque, mesmo que a consulta seja motivada pela suspeita de glaucoma, o especialista não fará somente a medida da pressão intraocular. O exame completo incluirá também a avaliação do fundo do olho para detecção de alterações no nervo óptico.

Dependendo dos resultados anteriores, outros exames podem ser solicitados. O exame de campo visual é fundamental para avaliar a perda visual para o diagnóstico e para o acompanhamento do tratamento. Geralmente, o paciente só percebe o dano quando sua visão está bastante restrita.

Para entender melhor a história natural da doença, selecionamos, para esta edição, alguns mitos e verdades que podem ajudar no diagnóstico precoce, visto que a informação é uma grande aliada no combate à doença.

Se não for tratado adequadamente, o glaucoma pode levar à cegueira.
VERDADE. Levando, inclusive, a cegueira total, quando não há tratamento adequado. Os casos são muitos devido à falta de procura por atendimento médico especializado. A partir do diagnóstico e do tratamento correto, a doença pode ser controlada.

O paciente uma vez tratado estará curado do glaucoma.
MITO. O tratamento do glaucoma objetiva o controle da pressão intraocular para controlar o avanço da doença. Podem ser colírios associados a medicamentos ou procedimentos cirúrgicos a laser. Em alguns casos, haverá necessidade de cirurgia quando o tratamento clínico não controla adequadamente a doença. A perda de campo visual é irreversível. A visão perdida por causa do glaucoma não é recuperada.

O risco de sofrer com glaucoma aumenta com a idade.
VERDADE. Inclusive a partir dos 40 anos, quando o paciente começa a usar óculos, é o período em que é muito importante procurar o especialista. Não usar óculos comprados em bancas nas ruas é imprescindível porque a questão não é só enxergar bem, mas detectar possíveis problemas oculares, muitas vezes, graves. Pessoas nessa idade, obrigatoriamente, precisam passar por uma consulta oftalmológica anualmente.

Crianças podem ter glaucoma.
VERDADE. Trata-se de um tipo específico: o glaucoma congênito. O recém-nascido, portador da doença, apresenta os olhos grandes e muito lacrimejantes. Esse é um caso grave que, se não tratada, leva à cegueira.

A presença de familiares de primeiro grau com glaucoma aumenta em 7 vezes a chance de se desenvolver a doença.
VERDADE. Por exemplo, o diabetes que afeta muito os olhos. Quanto mais descontrolada a glicemia, mas a pessoa terá alterações nos olhos. O diabético precisa tomar um cuidado redobrado

– –
Fonte: CBO – Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Você também pode gostar
A saúde ocular da mulher: o que você precisa saber
+
A saúde ocular da mulher: o que você precisa saber

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), duas a cada três pessoas cegas no mundo são mulheres. Em números absolutos, isso representa ...

6 de outubro de 2023
A tecnologia a serviço da saúde ocular
+
A tecnologia a serviço da saúde ocular

A Tomografia de Coerência Óptica (OCT) é um dos grandes avanços tecnológicos desenvolvidos para auxiliar o oftalmologista no diagnóstico de doenças0131 ...

31 de janeiro de 2024
Saúde das pálpebras evita problemas de visão
+
Saúde das pálpebras evita problemas de visão

Mudanças hormonais, excesso de sol, genética, envelhecimento ou problemas musculares são algumas causas das pálpebras caídas que podem originar fadiga visual, ...

10 de novembro de 2023
siga @signorellioftalmologia no Instagram