1 de setembro de 2022

Benefícios potenciais da luteína carotenoide para a saúde ocular

Benefícios potenciais da luteína carotenoide para a saúde ocular

Acredita-se que os carotenoides em substâncias alimentares tenham benefícios para a saúde, diminuindo o risco de doenças.

A luteína, um composto carotenoide, é um dos nutrientes essenciais disponíveis em vegetais de folhas verdes (couve, brócolis, espinafre, alface e ervilha), juntamente com outros alimentos, como ovos.

Como a nutrição desempenha um papel fundamental na manutenção da saúde humana, a luteína, como substância nutricional, confere benefícios promissores contra vários problemas de saúde, incluindo distúrbios neurológicos, doenças oculares, irritação da pele, etc.

Luteína, zeaxantina e meso-zeaxantina são os únicos carotenoides encontrados na mácula humana e podem ter um papel na função visual. Esses carotenóides são relatados para proteger a retina e, portanto, a visão, como antioxidantes e agindo como um filtro de luz azul.

A luteína e a zeaxantina são carotenoides da xantofila. Os seres humanos não podem sintetizar luteína e zeaxantina e devem obtê-los de sua dieta. Fontes de luteína e zeaxantina incluem vegetais de folhas verdes, gema de ovo, milho e abóbora.

Estima-se que os adultos americanos consumam 1-2 mg de luteína/zeaxantina por dia a partir de fontes alimentares. Dos mais de 1.000 carotenoides encontrados na natureza, apenas a luteína e a zeaxantina e seus metabólitos estão presentes na mácula humana.

Coletivamente, luteína, zeaxantina e meso-zeaxantina (um isômero de zeaxantina) compreendem o pigmento macular.

A densidade óptica do pigmento macular (MPOD) é uma medida das concentrações de luteína/zeaxantina na mácula.

MPOD é medido em unidades de densidade óptica e varia entre 0 e 1. Uma revisão sistemática recente relatou uma associação positiva entre MPOD e função visual, incluindo correlações com sensibilidade ao contraste, recuperação de fotoestresse e deficiência de brilho.

Embora o carotenoide luteína e sua forma relacionada chamada zeaxantina tenham sido associados à saúde ocular há algum tempo, a quantidade que fornece benefício ainda não foi quantificada.

Um resumo de evidências de última geração mostra que há um nível moderado de evidências ligando 10 miligramas de luteína/zeaxantina por dia com a função ocular. Cinco mg/dia eram insuficientes para ter um efeito e faltavam pesquisas suficientes para determinar os impactos no nível de 5-10mg.

Embora mais pesquisas sejam úteis, este “estudo de estudos” descobriu que o indicador da estrutura ocular normal chamada densidade óptica do pigmento macular (MPOD) melhorou com a ingestão do carotenoide luteína / zeaxantina. O pigmento macular é uma estrutura chave no olho que protege a retina da luz azul prejudicial.

A luteína/zeaxantina é encontrada em vegetais de folhas verdes, abóbora, milho, gema de ovo, abacate e suplementos dietéticos.

A evidência de última geração intitulada “O efeito da ingestão de luteína / zeaxantina no MPOD humano: uma revisão sistemática e meta-análise”, foi publicada na revista Advances in Nutrition.

A revisão se concentrou em 46 estudos em humanos, totalizando 3.189 participantes com olhos saudáveis. MPOD é uma medida da concentração de luteína/zeaxantina na mácula e está associada à função visual.

Esta revisão sistemática relata que a ingestão de luteína e zeaxantina em doses de 10mg ou mais aumenta a densidade do pigmento macular em adultos com olhos saudáveis. Deve-se notar que esses estudos são realizados em um período de tempo relativamente curto (meses em vez de anos).

Uma lacuna importante é estudar se níveis abaixo de 10mg, quando consumidos regularmente como parte de uma dieta ao longo de anos (não apenas alguns meses), têm impacto no pigmento macular comparável à suplementação mais alta de curto prazo.

De acordo com a autora sênior Dra. Karen Robinson, “Nossa revisão foi a primeira a avaliar os efeitos das fontes dietéticas e suplementares de luteína em olhos saudáveis.

Suplementos diários de luteína de 10mg ou mais aumentaram o pigmento macular após 3 meses. Estudos de fontes alimentares de luteína geralmente usaram doses diárias mais baixas de luteína durante um curto período de tempo (6 meses ou menos).”

– –
Fonte: OBN– Ophthalmology Breaking News

Você também pode gostar
Cirurgia Oculoplástica melhora a expressão do olhar
+
Cirurgia Oculoplástica melhora a expressão do olhar

A Cirurgia Oculoplástica pode ser indicada a qualquer pessoa, independente de raça ou gênero, sempre que as pálpebras apresentarem excessos tanto de pele como ...

17 de julho de 2023
Glaucoma e a importância de conhecer o histórico de doenças oculares da sua família
+
Glaucoma e a importância de conhecer o histórico de doenças oculares da sua família

Você sabia que uma das melhores formas de cuidar da saúde dos seus olhos é conhecendo o histórico da sua família? Quando se pensa em doenças oculares, é ...

13 de abril de 2023
Ceratocone: 9 principais dúvidas no dia a dia do consultório
+
Ceratocone: 9 principais dúvidas no dia a dia do consultório

Ceratocone é uma doença não inflamatória da córnea caracterizada por afinamento progressivo e protrusão em formato de cone levando a déficit visual. Com que ...

19 de setembro de 2023
siga @signorellioftalmologia no Instagram