11 de março de 2024

Catarata, quando se deve operar?

Catarata, quando se deve operar?

No passado, havia um conceito de que só se deveria intervir com cirurgia, retirando a catarata, quando a queda visual fosse muito significativa ou mesmo já com a ausência de visão. Evidente que com o tempo os conceitos e as condutas mudam.

6516513254Para esclarecermos o que há de mais atual, vamos primeiramente explicar o que é a catarata. No nosso olho, logo atrás da pupila, existe uma lente que por sua transparência é denominada de “cristalino”.

A Catarata é uma doença ocular que pode ser congênita (menos frequente) ou adquirida. Consiste na opacidade parcial ou total do cristalino, geralmente de maneira progressiva. Trauma ocular, medicações, inflamações intraoculares, exposição excessiva à radiação ultravioleta e diversas doenças, como o diabetes podem antecipar o desenvolvimento de catarata.

Dentre os sintomas da catarata, destacamos: redução da acuidade visual, com perda da nitidez da imagem, dificuldade para distinguir cores, alteração frequente no grau dos óculos. A catarata, em geral, é bilateral sendo a maior causa de cegueira reversível em todo o mundo, atingindo milhões de pessoas.

Para descontrair um paciente que acaba de ter esse diagnóstico, costumo dizer: “FELIZES OS QUE VIVEM PARA TÊ-LA”!

.
E como tratar a catarata? Não existe tratamento clínico para catarata. Este é sempre cirúrgico. A partir do momento em que a visão interfere na qualidade de vida há indicação para a cirurgia. A técnica cirúrgica mais empregada consiste na microfragmentação e aspiração do cristalino. No local da lente natural que foi removida é implantada uma lente (lente intraocular). Com o avanço tecnológico destas lentes também é possível a correção de erros refracionais (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia – vista cansada) na cirurgia de catarata.

As lentes intraoculares proporcionarão ao paciente uma melhor qualidade de vida, com menor dependência de uma correção óptica residual. A decisão sobre o tipo de lente a ser implantada será feita de acordo com a avaliação do especialista que irá orientar seu paciente quanto ao procedimento e às restrições no pós-operatório.

Os procedimentos médicos oftalmológicos estão muito seguros, com recuperação e volta às atividades cada vez mais precoces, mas nunca devem ser banalizados. Complicações, apesar de muito incomuns, podem ocorrer.

Você também pode gostar
Doenças oculares hereditárias: conheça as 5 principais
+
Doenças oculares hereditárias: conheça as 5 principais

Muitas doenças oculares são transmitidas por herança genética. O ideal é se consultar e informar ao oftalmologista sobre quaisquer condições pré-existentes ...

21 de dezembro de 2023
Saúde das pálpebras evita problemas de visão
+
Saúde das pálpebras evita problemas de visão

Mudanças hormonais, excesso de sol, genética, envelhecimento ou problemas musculares são algumas causas das pálpebras caídas que podem originar fadiga visual, ...

21 de maio de 2024
Atenção aos olhos dos pequenos estudantes na volta às aulas
+
Atenção aos olhos dos pequenos estudantes na volta às aulas

As férias acabaram e é hora de voltar às aulas. Momento ideal para redobrar os cuidados com a saúde dos olhos. É fundamental que, nesta época do ano, pais e ...

5 de fevereiro de 2024
siga @signorellioftalmologia no Instagram