4 de outubro de 2017

Lacrimejamento em crianças. O que fazer?

Lacrimejamento em crianças. O que fazer?

Segundo informações do Conselho Brasileiro de Oftalmologia – CBO, é preciso estar atento aos sinais que indiquem a presença de algum problema ocular na criança. Dificuldades com a visão devem ser tratadas o quanto antes, pois a maturidade deste sentido é alcançada por volta dos cinco anos de idade.

Na infância, um problema muito comum é o lacrimejamento, uma produção aumentada da lágrima, devido a uma obstrução do canal lacrimal. A principal causa é a persistência de uma membrana no local de abertura do ducto nasolacrimal (localizada na cavidade nasal), que se rompe após o nascimento do bebê.

A presença desta membrana acaba dificultando o escoamento da lágrima provocando problemas oculares, como a conjuntivite bacteriana e a chamada triquíase – quando há um desvio dos cílios direcionando-os para dentro dos olhos. Esse excesso lacrimal também pode diminuir a acuidade visual e desenvolver também uma ambliopia (olho preguiçoso), responsável pela maior causa de cegueira monocular – de apenas um olho – na infância, pois funciona como um bloqueio à visão durante a fase de crescimento ocular.

Quando há excesso de lágrima, por causa de um escoamento insuficiente, o problema é denominado epífora, que atinge crianças e adultos. Ocorre em aproximadamente 6% dos bebês recém-nascidos e, ainda, é considerada pelos especialistas como o primeiro sinal da presença de glaucoma no bebê. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o glaucoma é responsável por cerca de 20% dos casos de cegueira em crianças e está aumentando de maneira alarmante no Brasil devido ao crescimento de partos prematuros, que facilitam as más-formações da criança, que podem ocasionar a epífora.

Formas de tratamento

Massagear o canto interno do olho em direção ao nariz três vezes ao dia pressionando o dedo indicador com movimentos descendentes pode facilitar a drenagem do canal. Essa é uma técnica aprovada por especialistas e mostrou eficiência em até 90% dos casos de desobstrução lacrimal em menos de um ano. Outra terapêutica indicada é a cirurgia – sondagem; um fio é introduzido no sistema nasolacrimal para irrigar o nariz com um fluido. Este procedimento é feito em um período relativo de 10 a 14 meses de vida do bebê.

É importante dizer que, nos casos de obstrução do canal lacrimal, o melhor a fazer é procurar um especialista par avaliar com mais precisão a gravidade do caso e indicar o melhor tratamento.

– –
Fonte: CBO – Conselho Brasileiro de Oftalmologia

Você também pode gostar
Ceratocone: 9 principais dúvidas no dia a dia do consultório
+
Ceratocone: 9 principais dúvidas no dia a dia do consultório

Ceratocone é uma doença não inflamatória da córnea caracterizada por afinamento progressivo e protrusão em formato de cone levando a déficit visual. Com que ...

19 de setembro de 2023
Erros refrativos devem receber a devida atenção
+
Erros refrativos devem receber a devida atenção

Uma dificuldade para ler um texto aqui, outra, para focar um letreiro mais distante ali… Não enxergar com nitidez pode ser um sinal de alerta. Os erros de ...

14 de fevereiro de 2024
O que todo paciente com Ceratocone deve saber
+
O que todo paciente com Ceratocone deve saber

Verifica-se no dia a dia do consultório, que um esclarecimento adequado traz maior tranquilidade e conforto para a família

12 de junho de 2023
siga @signorellioftalmologia no Instagram